domingo, 26 de fevereiro de 2017

Resultado do 1° Sorteio - Livro: Uma chance para recomeçar

O sorteio teve 66 inscrições contando com as chances extras.
Foi realizado através do sorteador online Random.Org, e pelo formulário do Google Doc que vocês preencheram.

O número sorteado é:

Que corresponde a:


Parabéns Rudynalva!
Cumpriu todas as regras e ganhou com chance extra em ter divulgado o sorteio no twitter.

Estarei entrando em contato via e-mail, e você terá o prazo de responder com o envio completo de seus dados até 72hs, caso contrário, o sorteio será refeito entre os mesmos participantes!  

domingo, 29 de janeiro de 2017

Resenha do livro: Como folhas secas - Júlia de Oliveira



Editora: Novo Século
Ano de Edição: 2016
Páginas: 303

Resenha

A história é contada através de Ana Carolina e Antônio Guerra.
Ana Carolina nasceu em Santa Heloísa, uma cidade pacata, tranquila e com poucas famílias. Ana Carolina era criada com muito amor pelos pais, paparicada por todas a sua volta; uma menina doce, alegre, e muito obediente.
Na cidade de Santa Heloísa, todas as famílias se conheciam e gostavam muito de fazer festas e comemorações, principalmente quando uma nova família mudava para lá.
Como a cidade era pequena, logo surgira rumores de  que uma família por sobrenome "Guerra", se mudaria para um casarão do outro lado da estrada, a casa que ficava de frente a de Ana Carolina, separada apenas pela estrada.
Quando o casal estacionou, logo Carol e os pais foram cumprimentar os novos vizinhos, e se depararam com um casal quieto, muito diferente de todos os outros moradores. Eles tinham um filho quase da mesma idade de Ana Carolina.
Logo Ana Carolina e Antônio se tornaram inseparáveis, grandes amigos. Eu simplesmente me encantei com a amizade deles, o carinho, a cumplicidade, a lealdade entre ambos. Esse livro me arrancou diversas emoções, me fez rir e me fez chorar. A amizade entre Carol e Toni era uma amizade muito linda, daquelas que não se vê por aí, regada por dias de leituras, brincadeiras ou apenas conversas. 
Toni sofria maus-tratos, agressões verbais e físicas do próprio pai. Um dia ele criou coragem, já cansado, e contou tudo para Carol, que de início ficou chocada, desesperada, mas não sabia como ajudá-lo.
Daí por diante a coisa foi complicando cada vez mais para Toni, eu precisei me recompor e respirar fundo para continuar a leitura. 
O começo do namoro deles foi incrível, como eu imaginava. Trocas e juras de amor, típico daquela fase deliciosa de quando se está apaixonado.


Bem, diário, está tudo perfeito até agora. Perfeito demais para o meu gosto. Não sou tola, sei que coisas boas assim não costumam durar para sempre e, as vezes, fico me perguntando o que vai acontecer para nos tirar desse transe, desse mundo ideal em que vivemos apenas os dois. Porque, afinal, tragédias acontecem e... 



Foi aí, exatamente após essas palavras de Carol, que o livro para mim passou a ser muito mais do que intenso, e sim trágico.

A história dá uma reviravolta do tipo que eu não estava conseguindo acreditar.
Coisas aconteceram com Toni, a vida judiou muito dele, o que me deixou extremamente furiosa, ele não merecia passar por tudo aquilo. Já Carol, deu uma de rebelde. Mas aos poucos conforme os anos foram passando, a vida de Carol foi entrando nos eixos, mas a de Toni indo para o fundo do poço. O que mais haveria de acontecer com ele? E fora a perda de um personagem muito admirado por mim, que me fez chorar litros e ficar com os olhos todo inchado e vermelho. rs
A leitura desse livro para mim, foi algo inenarrável, eu sorri, chorei, fiquei furiosa com a autora, tive raiva de Carol, e senti um enorme carinho por Toni. Como eu queria cuidar daquele garoto.
Mas apesar de todos os acontecimentos bons e ruins que se apresentaram na vida de Toni, e apesar do final não ter sido do meu agrado, eu amei a leitura, me apaixonei pela escrita e a forma como a história foi narrada e apresentada. Toni teve uma chance de recomeçar, e isso me deixou contente.
É um livro que eu recomendo, mas já aviso de antemão, prepare-se psicologicamente para a leitura, respire fundo, e deixe um lenço por perto.
Ah, e a ressaca literária com certeza irá te visitar... E por dias... rsrs



sábado, 28 de janeiro de 2017

Resenha do livro: Querida Sue - Jéssica Brockmole



Editora: Arqueiro
Ano de Edição: 2013
Páginas: 255

Resenha
"Querida Sue" é um livro extremamente apaixonante. A história toda é contada através de cartas, o que torna a leitura leve, fácil, interessante e extremamente envolvente.
Espelth Dunn, é uma jovem poetisa de 24 anos, que vive em Peinchorran, num chalé aninhado entre as montanhas que cercam um lago em Skye, na Escócia.
Certo dia, a poetisa recebe uma carta de um "fã", e a partir dali Espelth e David Graham iniciam uma série de troca de cartas, onde começam a trocar confissões e segredos. 
David Graham é um jovem americano de 26 anos que vive em Urbana, Illinois nos Estados Unidos. Estuda ciências naturais, um curso do qual detesta. Seu pai um homem muito poderoso e rígido, quer que ele inicie logo após o término do curso, a faculdade de medicina, porém o sonho de David é se tornar independente dos pais e poder estudar literatura americana.
Conforme o tempo vai passando, surge entre Espelth e David uma amizade que logo embarca para um grande amor. Espelth é casada com Ian desde muito nova, e se vê diante de uma paixão avassaladora que nunca antes havia sentido por seu esposo Ian.
Em 1912 inicia a Primeira Guerra Mundial, onde David , Ian e o irmão de Espelth, se candidatam como voluntários.
Culpada por estar amando outro homem, Espelth só deseja que ambos voltem sã e salvos. 
Durante a guerra Espelth e David continuam trocando cartas de amor; e quando a guerra é dada por terminada, o irmão de Espelth volta todo machucado e com uma perna amputada. Dias depois ela recebe a notícia de que seu esposo Ian faleceu em combate.
Espelth e David fazem planos para ficarem juntos, mas o livro dá algumas reviravoltas e muitas coisas acontecem. David larga a faculdade e a casa dos pais, e vai em busca de um emprego e estudar aquilo que realmente sonhou.  
Espelth vê que as coisas entre eles está ficando cada dia mais difícil. Viúva e sozinha, ela começa a organizar sua vida. Com o dinheiro das vendas de seus livros, constrói um chalé maior, e passa a trabalhar nas atividades que antes seu esposo quem cuidava.
O tempo vai passando e Espelth percebe que os planos que tinha feito com David, eram apenas seus.
Fiquei com um pouco de raiva de David, por que ele tivera de se voluntariar novamente? Por que não voltou para Espelth e começar uma vida juntos?  
Em 1940 inicia a Segunda Guerra Mundial. Margareth, filha de Espelth, apaixonada por um piloto da Força Aérea Real. Espelth percebe que a filha está indo pelo mesmo caminho dela, e teme que Margareth sofra como ela sofreu por David.
Margareth, ao contrário da mãe, que nunca saiu da pequena Ilha de Skye, é uma jovem corajosa, cheia de sonhos, com espírito de aventuras.
Margareth descobre as cartas de sua mãe com David, e vai em busca de respostas.
A história é cheia de detalhes de épocas que já se foram.
Será que Espelth e David, irão se reencontrar após décadas?

"Um amor mais forte o que o tempo e a distância. Um romance á moda antiga, que sobrevive á separação e aos dramas da vida."


    

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Resenha do livro: Uma chance para recomeçar!



Editora: Pandorga
Ano de Edição: 2016
Páginas: 432


Sinopse: Carina é uma workaholic risa e bem-sucedida cuja vida se resume ao trabalho. Afogada em estresse, ela não se importa com a solidão que habita seu coração, pois o amor nunca foi uma das suas prioridades, até que algo inusitado acontece. Repentinamente, ela se vê privada do trabalho e deseja aplacar a solidão que a consome, principalmente quando conhece Aurélio, que a trata de uma forma diferente da qual ela está acostumada. Consumido pela tragédia que vitimou sua família e deixou-lhe seqüelas físicas e emocionais, Aurélio não quer nada além de se afundar cada vez mais na dor e na culpa que sente. Suas certezas começam a ficar abaladas à medida que Carina se aproxima cada vez mais dele. Quantos obstáculos precisam ser vencidos para recomeçar? O amor é capaz de vencer as amarras do passado e o preconceito?
   

Resenha:
O livro narra a estória de duas pessoas tão diferentes, mas que ao mesmo tempo parecidas por ambos viverem em completa solidão.
Aurélio aprisionado há dez anos pela culpa do acidente em que resultou na morte de sua esposa e filha. O acidente o deixou com muitas sequelas, resultando em uma cegueira permanente e o corpo e rosto praticamente coberto por cicatrizes, o que fazia com que ele usasse uma máscara no rosto para escondê-lo. Aurélio não vivia, apenas existia, se tornou um reflexo quebrado da pessoa que ele fora um dia. Desde o acidente, vivia enclausurado e sustentando um amor pela esposa já falecida. 
Aurélio trabalhava como massoterapeuta em uma clínica, era extremamente amargurado, ríspido e ele próprio era preconceituoso consigo mesmo.
Até que um dia o destino decidiu mostrar a ele e a Carina, uma jovem rica, de status, presidente da Rede de Supermercados de sua família; que haveria sim uma chance para ambos recomeçarem.
Carina era bela, porém escondia sua beleza através das roupas largas que usava e do seu vício pelo trabalho. Vivia estressada, sua vida se resumia apenas ao trabalho, não tinha muito contato com a família e nem tinha amigos, era extremamente tímida e anti-social.
Carina havia tirado férias e viajado para tentar se libertar de todo o estresse que sentia, assim como sua vida, um completo vazio.
Certa manhã, acordou com um lado de seu rosto paralisado, sentia-se ainda mais como uma aberração, de pronto logo marcou uma consulta e voltou para sua cidade. A clínica na qual ela passara a fazer fisioterapias, era a mesma clínica em que Aurélio trabalhava como massoterapeuta. 
Certa vez, Carina acabou se esbarrando em Aurélio e caindo em seu colo. Dali em diante, surgiu uma amizade entre eles, e mesmo Aurélio resistindo algo começou a mudar. 
O relacionamento deles era extremamente conturbado, Carina e Aurélio viviam numa batalha diariamente de pesamentos,o que acabou por deixar a leitura um tanto cansativa e repetitiva, muitos pensamentos, inúmeras suposições e nenhum diálogo. Aurélio me deixava muito irritada, enquanto Carina era admirável, forte e corajosa, lutava pelo amor dele, mas os mal entendidos tornou tudo mais complicado ainda. Porém, diante de todas as adversidades, o amor foi mais forte, Aurélio sabia que só poderia ser feliz novamente, se ele mesmo se aceitasse e largasse os próprios preconceitos de lado. Aí sim, ele e Carina poderiam ter uma chance para recomeçar e construir uma família!
Nesse livro, muitas coisas me chamaram a atenção, a autora tratou sobre a deficiência física e visual, a dificuldade dos deficientes devido a má estrutura das localidades, o abandono de obras, e a dificuldade na qual os deficientes passam todos os dias ao saírem de suas casas. Temas estes que, a maioria de nós nem sequer paramos para pensar. O livro e a estória em si é uma grande reflexão, e nos mostra também o quão gratos devemos ser a Deus todos os dias, por podemos enxergar, ouvir, falar, sentir e andar!


Parabéns pelo livro Diana Scarpine, e meu muito Obrigada pela maravilhosa oportunidade em tê-lo lido! 

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Resenha do livro: A última carta de amor - Jojo Moyes



Editora: Intrinseca
Ano de Edição: 2016
Páginas: 384

O primeiro livro de Jojo Moyes publicado pela Intrínseca, relançado com nova capa.

Sinopse:
Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. De volta a casa com o marido, ela tenta, em vão, recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por 'B', e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante.

Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido – em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado –, Ellie começa a procurar por 'B', e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas do próprio relacionamento.
Com personagens realisticamente complexos e uma trama bem-elaborada, A última carta de amor entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda de Ellie e Jennifer. Um livro comovente e irremediavelmente romântico.
• Lançado pela Intrínseca em 2012, A última carta de amor vendeu mais de 100 mil exemplares e inaugurou a relação dos fãs com a autora.



Resenha:
O livro conta duas estórias. A estória de Jennifer Stirling, uma jovem rica, casada com um homem poderoso, cuja a vida baseava-se apenas em aparências e status. Confesso que esse livro da Jojo Moyes me decepcionou muito. As estórias se misturam, é uma confusão terrível, você começa lendo uma coisa, na mesma parte é outra. Uma loucura!!
Jennifer sofre um acidente e perde a memória, o marido ao lado dela a todo o momento no hospital. Ela não consegue se lembrar do que aconteceu, como foi parar naquele hospital, com quem estava no carro no momento do acidente, não se lembra de nada; e todos os amigos, parentes e até sua mãe sempre desconversam quando ela pergunta.
Já em sua residência, Jennifer ainda sem lembrar de nada tenta de todas as formas voltar a ser como era antes, sem sucesso ela passa a sentir-se totalmente diferente da moça e esposa que era. Conforme o tempo vai passando, Jennifer ainda sem lembrar de nada, começa a revirar suas coisas em busca de algum indício que a ajudasse a recordar-se do dia do acidente. Até que um dia encontra uma carta destinada a ela, uma carta de amor assinada por um homem que não era o seu esposo. Então Jennifer revira o quarta, e encontra cartas e mais cartas, ela se dá conta de que tivera um amante. Aos poucos a memória de Jennifer vai voltando e de repente num estalo, ela se recorda de tudo, exatamente o que a motivou a largar o marido, a entrar no carro e com quem estava no dia do acidente.
A outra parte da estória é sobre uma jornalista. Ellie, estava a ponto de perder seu emprego, caso não conseguisse uma bela matéria para o jornal no qual trabalhava. Em busca de algo, Ellie se entrara diversas vezes no depósito onde estavam guardadas e arquivadas, matérias e coisas do passado. Num dia enquanto procurava por algo, cai uma carta que fora destinada a Jennifer; Ellie que tinha um caso de amor com um homem casado, se vê diante de uma situação parecida com a sua. Decidida a publicar uma matéria com as cartas que ela encontrará, Ellie consegue entrar em contato com o suposto B. E assim percebe que sua estória de amor com o homem casado jamais poderia dar certo, mas a de Jennifer sim. 
Enfim, até o final do livro ficou confuso! Eu acredito que Jojo deixou para que os leitores 
imaginassem o que tinha acontecido. Mas se Jennifer e B, realmente ficaram juntos, eu não sei, vai da imaginação e da interpretação de cada um. 
Durante a leitura, tive vontade de abandonar o livro, mal podia acreditar que era realmente a Jojo Moyes quem escrevera esse livro tão confuso, essa mistura de passado-presente-futuro e vice-versa. Mas como não tenho costume deixar livros pela metade, consegui ir até o final. Após o término da leitura foi que eu consegui entender as estórias... Mas a minha opinião a respeito dele não muda e não irá mudar!

Alguém mais leu? O que achou? Qual a sua opinião?

Entrevista de Janeiro/ Autora Diana Scarpine!

Boa Tarde queridos leitores!
Esse ano pretendo trazer entrevistas com os nossos autores nacionais. Em cada mês será entrevistado um/a autor/a diferente.

E esse mês a autora que nos cedeu uma entrevista é a mais nova Parceira aqui do Blog. A autora Diana Scarpine, que já têm duas obras publicadas.

Confira a entrevista: 


1- Diana, nos fale um pouco sobre você.
Diana Scarpine: Eu sou uma pessoa comum que, como todas as pessoas, tem sonhos e já passou por dificuldades da vida, que gosta de ficar com a família, ler e escrever e que acha que os livros são uma das melhores coisas da vida, pois eles nos divertem, nos fazem refletir, geram conhecimento e abrem as portas da nossa imaginação.

2- Em que momento você percebeu que seu destino era ser escritora?
Diana Scarpine: Não houve um momento específico. Comecei a escrever aos 13 de idade, porque não me sentia representada nos livros que eu lia na época. Eu escrevia para mim mesma (não pensava em publicar); pois achava que ser escritora era um sonho impossível, uma vez que eu via pouca literatura nacional de autorescontemporâneos publicada. O cenário começou a mudar, mas ainda falta muito para que autores nacionais sejam valorizados como merecem.

3- De onde vêm os seus personagens, são inspirados em pessoas reais ou em fatos?
Diana Scarpine: Meus personagens não são inspirados em pessoas reais. Procuro me inspirar nas pequenas coisas da vida, no cotiano, na vida simples, pois gosto de construir personagens verossímeis que fazem com que, ao final da leitura, as pessoas se perguntem: é uma história real ou baseada na vida real?

4- No início, algum escritor ou livro te influenciou?
Diana Scarpine: Eu gostava e ainda gosto da forma como Machado de Assis conversa com o leitor. No início, me inspirei muito nele; mas depois fui abandonando as influências dele e de outros autores para construir meu próprio estilo de narrativa.

5- Qual de suas obras, ou personagens é seu favorito? Por quê?
Diana Scarpine: Amo minhas histórias e os meus personagens. Meu personagem preferido é Henri de “Entrelace: Caminhos que se Cruzam ao Acaso”. Quanto ao livro favorito, fica difícil escolher entre “Uma Chance para Recomeçar” e “Entrelace: Caminhos que se Cruzam ao Acaso”. Acho que amo os dois igualmente.

6- O que você mais gosta nas próprias histórias?
Diana Scarpine: O meu combate ao preconceito de uma forma geral; mas principalmente meu combate ao preconceito contra as pessoas com deficiência.

7- O que te inspira na hora de começar uma nova história?
Diana Scarpine: Inspiro-me no cotidiano como um todo, ou seja, não sei como, nem de onde a inspiração vem. Não procuro por ela, ela me encontra.

8- Qual é a sensação de ir a uma livraria e encontrar seu livro à venda?
Diana Scarpine: Eu me sinto emocionada e, se pudesse, mostrava o livro a todos.

9- Atualmente, está cada vez mais difícil publicar um livro, principalmente devido a motivos financeiros. Qual foi a sua maior dificuldade na publicação de seu livro?
Diana Scarpine: Acho que a maior dificuldade dos autores nacionais é se manter com o seu trabalho de escritor. A maioria não consegue e eu, até agora, não consegui. Então, na maioria das vezes, não dá para você se dedicar como gostaria à escrita. Você tem que ter outra profissão ou não consegue sobreviver. Esse é o meu caso.

10- Quanto tempo demora a escrever um livro?
Diana Scarpine: Varia. Demorei nove meses para escrever “Entrelace: Caminhos que se Cruzam ao Acaso” e três anos para escrever “Uma Chance para Recomeçar”.

11- Como surge, ou de onde vem a ideia para escrever um livro?
Diana Scarpine: Não vem de uma única ideia. É um conjunto de ideias que vão surgindo aos poucos e tomando forma. Por exemplo: a primeira ideia (inspiração) para “Uma Chance para Recomeçar” foi ter visto a desenvoltura de um cego ao atravessar a rua. A história surgiu aí? Não. Eu me lembrei várias vezes dessa cena por uns 4 anos (mais ou menos) e não sabia por que. Até que compreendi que precisava escrever algo relacionado a isso. Mas o quê? Eu não sabia, até que outras ideias/cenas foram me inspirando e se juntando a essa.

12- Você se sente realizada como escritora?
Diana Scarpine: Sinto-me realizada em relação aos meus livros e quando um(a) leitor(a) me envia um e-mail ou mensagem dizendo que gostou dos meus livros. Com a profissão em si, ainda não me sinto realizada; pois a vida de escritora nacional não é nada fácil. Mas espero que, um dia, sejamos mais valorizados e reconhecidos.

13- As pessoas te reconhecem como escritora?
Diana Scarpine: Nos lugares em que vou, ainda não fui reconhecida como escritora.

14- Se você pudesse deixar uma mensagem para aqueles que sonham um dia escrever um livro, qual mensagem deixaria?
Diana Scarpine: Leia bastante, escreva sobre o que você gosta e conhece, pesquise sobre o que vai escrever, seja persistente e não desista dos seus sonhos.


E aí meninas, gostaram de conhecer um pouquinho sobre a Diana?
Eu fiquei muito feliz pela oportunidade em conhecê-la! 
Devemos valorizar os nossos autores nacionais, e fazê-los conhecidos, não é verdade? Como a própria Diana descreveu: O autor nacional é pouco valorizado e reconhecido no Brasil. 
Devemos quebrar esse paradigma!!

Muito Obrigada pela entrevista Diana, e te desejamos muito Sucesso!

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

1° Sorteio: Livro Uma chance para Recomeçar



          Prêmio: Um exemplar do livro: Uma chance para recomeçar

Para Participar/Regras Obrigatórias:
-Seguir a  Diana Scarpine pelo Google+
-Seguir o Blog Livros, poesias & Cia
-Curtir a página Uma chance para recomeçar
Preencher corretamente o formulário


Chances Extras:
-Assinar a newsletter do Blog Diana Scarpine


-Seguir @DianaScarpine no twitter

-Compartilhar a imagem do sorteio publicamente no facebook AQUI - 4/4hs

-Divulgar o sorteio em qualquer Rede Social (Facebook, Twitter, Blog...)- 4/4hs 

-Divulgar a frase apenas no Twitter: "Sigo @nessaandstar e participo do sorteio do livro #UmaChanceParaRecomeçar da escritora @DianaScarpine".-4/4hs

-Comentar ou compartilhar qualquer postagem da Página Uma chance para Recomeçar...AQUI - 4/4hs

-Marcar três amigos nos comentários do post do sorteio no facebook AQUI - 4/4hs

-Assinar a Newsletter do Blog Cantinho da Nêssa

-Trazer seguidores para a  Diana Scarpine no Google+ - 24hs

-Trazer seguidores para o Blog Livros, poesias & Cia - 24hs

Regulamento do Sorteio
-Poderá participar do sorteio qualquer pessoa que resida em território brasileiro, e que cumpra as regras obrigatórias. 
-O sorteio será feito através do Random.Org e pelo formulário do Google Docs no dia 20/02.
-O envio do livro é de responsabilidade da própria autora Diana Scarpine.

-A/O sorteada/o será notificado através de um e-mail, e o mesmo terá o prazo de 72hs para responder com o envio completo de seus dados, caso contrário, o sorteio será refeito entre os mesmos participantes.   


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...